quarta-feira, 29 de julho de 2009

Paes, Cabral e a política de "maquear defunto"

Aí vai a outra charge que fiz para o jornal Fazendo Media desse mês.



"O Choque de Ordem instalado no Rio de Janeiro e os projetos urbanísticos em vigor, como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), sugerem perspectivas na política de habitação da cidade. Mas seus fundamentos são históricos, cuja lógica é constatada na degradação atual.

Segundo Sérgio Magalhães, urbanista e arquiteto, as favelas são fruto da total ausência do Estado nesses territórios e erguidas graças à poupança dia a dia durante anos e o esforço individual de 80% das famílias cariocas. É hoje uma das modalidades mais importantes da moradia popular brasileira. Sem nenhum financiamento e apoio de empreiteiras, tampouco da sociedade, muitas comunidades se constituíram através do mutirão, como é caso de Braz de Pina, dentre outros territórios.

Hoje, vemos o velho em versão inédita, com o prefeito Eduardo Paes, apoiado pelo governador Sérgio Cabral, além dos projetos federais, dando ênfase nessa questão, mas com um quê não só de remoção, como também de contenção: a construção de muros. Esse controle social, encobrindo dívidas históricas, que em alguns períodos aflora sob determinadas gestões, além de fatores sócioeconômicos tem uma vertente etnocultural."


Fonte: Jornal Fazendo Media, edição impressa, julho.

4 comentários:

Junior disse...

Grande Diego!!!!

Putz, muito da hora seus desenhos,
Gosto deste estilo preto e branco!!!

Por falar nisso, que tipo de caneta você usa nos seus desenhos?

Grande Abraço!!!

andré abreu disse...

ótima charge Dom Diego!!!!

abs

Diego Novaes disse...

Fala, Junior!!!

Eu uso nanquim descartável marca "stedler" (acho que se escreve assim, tô sem ela aqui agora) de vários tipos, 0.05 a 0.8.

Mas tenho que tomar vergonha na cara e começar a usar o bom e velho bico de pena. Até pq $ai muito mais em conta...rs

Abraço!

Diego Novaes disse...

Valeu Andrezito!!!