sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Reflexões sobre o caso Cesare Battisti



Essa charge eu fiz para o blog Náufrago da Utopia, mas o autor ainda não conseguiu postar por problemas técnicos. Trago aqui alguns pequenos trexos dos muitos textos que vêm sendo produzidos sobre o caso.

"Carlos Lungarzo, membro da Anistia Internacional dos EUA que produziu um relatório memorável sobre o Caso Battisti, traz nova contribuição à compreensão desse festival de iniquidades a que assistimos estarrecidos: Decisão judicial ou indulto?. Eis um trecho antológico:

"O alto corpo [do STF] é chefiado por alguém que já foi publicamente acusado por colegas de chefiar capangas. Gilmar Mendes já foi alvo de muitas denúncias (de arbitrariedade, de acobertamento de crimes financeiros, de vender serviços à própria justiça, de estimular a violência contra movimentos sociais, de incubar golpe institucional contra o governo) e foi o segundo caso no país de uma proposta de impeachment. Mais esperto que Collor, soube formar um escudo que o defendeu na hora certa. Defendido apenas pela direita e a grande mídia (que o qualifica de 'polêmico', um adjetivo inadequado para sua personalidade), sua presença num tribunal qualquer seria um sinal de alarma em qualquer país" (...)"

(...) "Lenda viva do jornalismo brasileiro, o veteraníssimo Hélio Fernandes continua confrontando de peito aberto as ignomínias da direita: Malabarismo pirotécnico do Supremo. Julgou abusivamente o presidente da República, acreditando que negava extradição ao italiano Battisti. Este ficou 12 anos na França, ninguém o incomodou. Ficará para sempre no Brasil . Ele afirma que, qualquer que seja a decisão do STF, Lula não será obrigado a cumpri-la, por seis motivos:

1.O Supremo não poderia julgar o Presidente da República.
2.O presidente já decidira conceder o asilo.
3.Nessa questão, regida por Tratados internacionais, a COMPETÊNCIA DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA É SOBERANA E INCONTESTÁVEL.
4.Um governo internacional (no caso a Itália) não pode invadir a competência de outro país.
5.A própria Itália reconheceu o fato, deixando Battisti 12 anos na França, sem pedir sua extradição.
6.A Itália de Berlusconi (sem qualquer moral ou competência) contestou a decisão, visivelmente considerando o Brasil mais vulnerável e mais sujeito a pressões."(...)



Leia mais e tire suas próprias conclusões em: http://naufrago-da-utopia.blogspot.com/2009/09/links-para-12-textos-obrigatorios-sobre.html

Um comentário:

Celso Lungaretti disse...

Meu caro Diego,

a charge sairá, sem dúvida.

Realmente, sofro com essas questões técnicas.

Parece brincadeira, mas duas das empresas nas quais trabalhei deram cursos de informática para seus funcionários exatamente durante períodos em que eu estava afastado.

Mas, haverei de colocar sua charge no tamanho correto...

Um forte abraço!

Celso