quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Desgovernador vocifera contra o povo do Rio


Diariamente a população do Rio de Janeiro é submetida ao mesmo tipo de indignidade. O transporte público na capital fluminense é cada vez mais precário e já não atende às demandas mínimas do carioca, que é tratado pelas empresas e concessionárias de transporte público como se fosse gado. Seja nos ônibus, trens, metrôs ou barcas, os mesmos problemas se repetem, e a cada dia que passa a situação claramente se agrava.

A confusão e o quebra-quebra de ontem, simultâneos em algumas estações de trem do Rio, são reflexo de um povo que, apesar de pacato, já não suporta mais tanta humilhação. Essas empresas fazem o que bem entendem, não dão satisfações aos seus clientes, prejudicam milhares e milhares de pessoas. E parece que o Poder Público não vê ou não quer ver a tensão que se avoluma.

Como se não bastasse, o governador Sergio Cabral fez essa declaração infeliz: "Nós estamos em cima desses responsáveis por essa balbúrdia porque isso prejudicou o Rio de Janeiro e nada justifica o vandalismo."

Nada justifica, governador...???

Nem se levarmos em consideração que milhares de trabalhadores todos os dias são obrigados a se sujeitar aos constantes atrasos dos trens, linhas de metrô interrompidas por muitos minutos, super-lotação nos metrôs e trens, barcas com o dobro da lotação máxima, chicotadas e outras situações indignas e quando muito desumanas? É a "balbúrdia dos vândalos" que prejudicou o Rio de Janeiro ou é a balbúrdia cotidiana, deprimente e desumana causada pela ausência do Estado?

Por que o senhor não experimenta aderir ao belíssimo movimento pendular que é acordar às 4 da manhã e viajar de Santa Cruz à Central num trem lotado? Ou ainda experimentar a delícia que é esperar mais de 40 minutos porque a barca atrasou? Ou quem sabe ficar preso duas horas no engarrafamento monumental na Avenida Brasil sentido Campo Grande, apenas no trecho Leopoldina-Caju? Ou talvez gostaria de apreciar a superlotação do metrô às sete horas da manhã?

Imagino que não fará nada disso, uma vez que continuará apreciando o drama do povo carioca do alto de seu confortável helicóptero de última geração, que, diga-se de passagem, custou aos cofres públicos a bagatela de não menos de 12 milhões de reais.

Aliás, ouvi dizer que o problema de transportes no Rio não se resolve justamente porque muitos dos políticos eleitos por nós estão de rabo preso com os empresários do setor, que doaram volumosas quantias para se fazerem representar.

Governador, governador, até quando essas políticas antipovo vão perdurar?



P.S.: Enquanto escrevo esse desabafo, nesse exato momento ouço a notícia de que os trens da Central estão parados, em pleno horário de rush, e a população, mais uma vez protestando e revoltada, está sendo expulsa do pátio da Central pela força policial ostensiva.

7 comentários:

JAMES disse...

Cara! Além de desenhar, tu escreve muito bem, parabéns pelo lindo trabalho!!! abç do Zé!

tonhOliveira disse...


iD+ego = Diego
é Nova essa, Novaes!

Não esquenta Diego,
de 2014 a 2016 tudo se resolverá!

Vai ter modalidade nova,
maratona até o trabalho, nado travessia, em vez de barcas...

Invente outras aí Diego...

o(:mpiaahahahdas!

Abraços!

Diego Novaes disse...

Valeu grande Zé, valeu pelo apoio!

Tonho, podexá, cumpádie, tô preparando uma série de charges sobre as OlimPIADAS 2016...

Abraços e obrigado pelas visitas!

Fero disse...

Você tem um belo trabalho e muito talento. Parabéns. Visite o http://riscando7.blogspot.com
Abs. Fero

Diego Novaes disse...

Obrigado meu caro Fero, irei ver seu blog.

Um abraço!

Anônimo disse...

Cabral está certo, o povo agiu como animais.

Diego Novaes disse...

Não, Cabral não está certo.